Bula do remédio Ziprol


Ziprol

Bula do remédio Ziprol.

Indicação

Para que serve?

Tratamento das lesões gastrintestinais leves, gastrites ou gastroduodenites agudas ou crônicas, dispepsias não ulcerosas, esofagites de refluxo, úlceras duodenais, úlceras gástricas. Na manutenção de pacientes com esofagite de refluxo cicatrizada, prevenindo as recidivas. Profilaxia das lesões agudas da mucosa gastroduodenal induzidas por medicamentos como os antiinflamatórios não hormonais.

Contraindicações

Quando não devo usar?

Gravidez e lactação: Ziprol não deve ser administrado na gravidez ou lactação. O uso somente deve ocorrer quando absolutamente necessário, já que até o presente não se dispõe de estudos em seres humanos nessas condições. Pantoprazol só deve ser utilizado quando o benefício for considerado maior do que o risco potencial. Ziprol é contra-indicado para pacientes com hipersensibilidade ao produto. Precauções e Advertências: antes de iniciar o tratamento, é necessário que se exclua a possibilidade de úlcera gástrica maligna e de doenças malignas do esôfago, já que o tratamento pode aliviar os sintomas e causar um atraso no diagnóstico. O diagnóstico de esofagite de refluxo deve ser confirmado por endoscopia. Portadores de insuficiência hepática: devem ser monitorizados com freqüência e se ocorrer aumento nos valores enzimáticos, descontinuar o produto. Uso pediátrico: a segurança e a eficácia não foram estabelecidas. – Interações medicamentosas: Ziprol pode alterar a absorção de medicamentos, como, por exemplo, o cetoconazol, cuja absorção é pH dependente (inclusive a dos ingeridos pouco tempo antes do tratamento). É metabolizado no fígado através do sistema enzimático do citocromo P450; não deve ser excluída uma eventual interação medicamentosa com outras substâncias metabolizadas no mesmo sistema, apesar de que não se observaram interações medicamentosas pelos experimentos conduzidos até o momento, onde foram analisados os substratos de todas as famílias do citocromo P450 envolvidas no metabolismo de drogas. Verificou-se que pantoprazol não afeta a farmacocinética ou a farmacodinâmica da antipirina, carbamazepina, cafeína, diazepam, ciclofenaco, digoxina, etanol, glibenclamida, metoprolol, nifedipina, femprocumona, fenitoína, teofilina, varfarina e contraceptivos orais. A ingestão de antiácidos não interfere na absorção do pantoprazol. O pantoprazol não aumenta a excreção urinária dos marcadores de indução, ácido D-glucarídico e 6 b-hidroxicortisol. Conforme estudos de interação farmacocinética, administrando-se pantoprazol simultaneamente aos antibióticos claritromicina, metronidazol e amoxicilina, não demonstraram nenhuma interação clinicamente significativa.

Posologia

Como usar?

Ziprol 20 mg: lesões gastrintestinais leves, gastrites ou gastroduodenites agudas ou crônicas, dispepsias não ulcerosas, na manutenção de pacientes com esofagite de refluxo cicatrizada, prevenindo as recidivas, na profilaxia das lesões agudas da mucosa gastroduodenal induzidas por medicamentos como os antiinflamatórios não hormonais, recomenda-se 1 comprimido ao dia de Ziprol 20 mg ou a critério médico. Nas esofagites de refluxo leves, um tratamento de 4 a 8 semanas é, em geral, suficiente. Ziprol 40 mg: úlceras gástricas duodenais e esofagites de refluxo moderadas e leves, recomenda-se 1 comprimido ao dia de Ziprol 40 mg ou a critério médico. Em casos isolados, a dose diária pode ser aumentada para 2 comprimidos, particularmente nos casos de pacientes refratários a outros medicamentos. A cicatrização da úlcera duodenal ocorre, na maioria dos casos, dentro de 2 semanas. Nas úlceras gástricas e nas esofagites de refluxo, um tratamento de 4 semanas é, em geral, suficiente. Em casos isolados, a duração do tratamento pode ser prolongada para 4 semanas (úlceras duodenais) e 8 semanas (úlceras gástricas e esofagites de refluxo). O uso prolongado de pantoprazol fica a critério médico. Trabalhos clínicos evidenciam a segurança de pantoprazol no uso contínuo em longo prazo. Em pacientes com insuficiência renal, a dose diária de 40 mg não deve ser ultrapassada, bem como nos casos de insuficiência hepática, a dose diária de 20 mg não deve ser ultrapassada. Os comprimidos não podem ser mastigados ou quebrados, mas ingeridos inteiros, antes, durante ou após o café da manhã. Na maioria dos pacientes, o alívio dos sintomas é rápido. – Superdosagem: na eventualidade de superdosagem, recomenda-se adotar as medidas habituais. Pacientes idosos: em indivíduos com mais de 65 anos, a dose de 40 mg não deve ser ultrapassada, salvo critério médico.

Efeitos Colaterais

Quais os males que pode me causar?

O tratamento pode ocasionalmente levar ao aparecimento de dores de cabeça ou de diarréia. Naúseas, queixas abdominais, flatulência, erupções cutâneas, prurido e vertigem foram raramente observados. Em casos isolados, houve relato de formação de edema, febre, depressão e distúrbios visuais (turvação visual).

Composição

Cada comprimido contém: pantoprazol 20 mg(adicionado na forma de pantoprazol sódico sesqui-hidratado 22,57 mg). Pantoprazol 40 mg (adicionado na forma de pantoprazol sódico sesqui-hidratado 45,10 mg). Excipientes: lactose, celulose microcristalina, dióxido de silício coloidal, estearato de magnésio, dióxido de titânio, hidroxipropilmetilcelulose/PEG, acetoftalato de polivinila/PEG, corante amarelo tartrazina nº 5 laca alumínio, q.s.p. 1 comprimido.

Apresentação

20 mg: caixa contendo 14 comprimidos gastrorresistentes, em frasco plástico. 40 mg: caixa contendo 7 e 14 comprimidos gastrorresistentes, em frasco plástico.

Laboratório

Laboratórios Baldacci S.A.