Bula do remédio Megestran


Megestran

Bula do remédio Megestran.

Indicação

Para que serve?

Como contraceptivo, no controle de irregularidades menstruais e na supressão da ovulação.

Contraindicações

Quando não devo usar?

Gravidez suspeita ou confirmada, doenças vasculares cerebrais ou coronarianas, distúrbios graves na função hepática, histórico de icterícia com o uso anterior de contraceptivo hormonal ou de icterícia colestática da gravidez, síndrome de Dubin-Johnson ou Rotor, tromboflebites ou doenças tromboembólicas, diabetes grave, carcinoma de mama ou dos genitais, suspeito ou confirmado; neoplasia estrogenodependente, suspeita ou confirmada; sangramento anormal, herpes gravídico.

Posologia

Como usar?

A paciente deve ser instruída a tomar um comprimido ao dia, sempre no mesmo horário, principalmente após o jantar ou ao deitar, com pequena quantidade de líquido, sem mastigar. Iniciar o tratamento no 5º dia do ciclo menstrual, independente do sangramento haver terminado ou não, seguindo a ordem numérica indicada no verso da cartela, começando pelo comprimido branco que está assinalado com o nº 1. A partir do 22º dia, na seqüência, deve-se tomar os comprimidos amarelos, até 28º dia (último comprimido), mesmo durante o período menstrual. Durante os primeiros 14 dias do primeiro ciclo de tratamento é necessário tomar medidas anticoncepcionais adicionais não hormonais, tipo barreira mecânica (camisinha, diafragma). Megestran deve ser administrado ininterruptamente; ao terminar uma cartela a paciente deverá iniciar outra imediatamente no dia seguinte. Caso ocorra sangramento intermenstrual transitório a paciente deverá ser instruída a não interromper o tratamento. Se a hemorragia for persistente e prolongada o médico deverá ser informado. Caso a paciente esqueça de tomar um ou dois comprimidos de Megestran, deverá tomá-los tão logo se lembre O comprimido imediatamente posterior ao(s) esquecido(s) deverá ser ingerido no horário programado e um método contraceptivo não hormonal adicional, tipo barreira mecânica, deverá ser utilizado até a menstruação seguinte. Caso a paciente tenha se esquecido de tomar três ou mais comprimidos consecutivos recomenda-se interromper o tratamento, descartar os comprimidos restantes e utilizar outro método contraceptivo, como barreira mecânica, até a próxima menstruação quando no 5º dia, deverá ser iniciada nova cartela de Megestran, utilizando-se nos primeiros 14 dias de tratamento um método anticoncepcional não hormonal adicional. Se os comprimidos omitidos forem da cor amarela, recomenda-se que sejam ingeridos tão logo a paciente se lembre e que o tratamento seja então continuado na seqüência normal, pois tais comprimidos são isentos de hormônios, contendo apenas vitamina B6 como componente ativo. Se no esquecimento de um ou mais comprimidos não ocorrer menstruação no ciclo posterior, recomenda-se a interrupção imediata da medicação e verificação da possibilidade de gravidez. Superdosagem: a superdosagem parece não apresentar sintomas imediatos e os sintomas em longo prazo não foram firmemente estabelecidos. Quando ocorrer superdosagem, pode ser feita lavagem gástrica se a ingestão for recente. Medidas gerais de observação e controle dos sintomas devem ser tomadas. Testes de função hepática podem ser feitos, principalmente verificação dos níveis de transaminases, até 3 semanas após a ocorrência de superdosagem.

Efeitos Colaterais

Quais os males que pode me causar?

Entre os efeitos colaterais possíveis de associações progestágeno-estrogênicas podem ser citados cefaléia, náusea, vômito, tontura, fadiga, alteração do peso corpóreo, miastalgia, modificações do fluxo menstrual, alteração da libido, irritabilidade, nervosismo, sangramentos intermenstruais, depressão, acne, aumento do apetite, hirsutismo, seborréia. – Interações medicamentosas: o efeito contraceptivo pode ser reduzido e o índice de sangramentos intermenstruais aumentado quando há administração concomitante e regular de drogas como: ampicilina, rifampicina, fenilbutazona, hidantoína e barbitúricos. Poderão ocorrer alterações na necessidade de hipoglicemiantes orais ou de insulina. Há relatos de alterações entre estrógenos e antidepressivos tricíclicos, provocando sintomas de toxicidade em pacientes.

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar?

Aconselha-se, antes de prescrever contraceptivos hormonais, realizar exame físico e histórico clínico completos, repetindo-se este cuidado periodicamente durante o seu uso. Atenção especial deve ser dedicada à pressão arterial, mamas, abdômen e órgãos pélvicos, incluindo esfregaços de Papanicolaou. Sangramentos intermenstruais podem ocorrer eventualmente em usuárias de contraceptivos orais, especialmente durante os três primeiros meses de uso. Causas não hormonais devem ser consideradas e medidas diagnósticas adequadas devem ser feitas para verificar malignidade, tanto nos casos de sangramentos intermenstruais como em qualquer sangramento vaginal irregular. Se a patologia for excluída, observar por algum tempo e descontinuar a medicação se necessário. Em caso de amenorréia, pesquisar gravidez. Uma vez que mestranol e noretisterona podem causar certo grau de retenção líquida, condições que possam ser influenciadas por esse fator como epilepsia, enxaqueca, asma, disfunção cardíaca ou renal, requerem cuidadosa observação. Em pacientes com histórico de depressão psíquica, recomenda-se acompanhamento cuidadoso. Caso a depressão volte a se manifestar de forma significativa, descontinuar a medicação. Foi observada uma diminuição da tolerância à glicose em uma porcentagem significante de pacientes em uso de anovulatórios. Portanto, pacientes diabéticas devem ser constantemente monitoradas durante o uso de Megestran. Leiomiomas uterinos podem aumentar de tamanho devido ao uso de associações estrógeno-progestogênicas. Descontinuar o uso de Megestran nos casos em que ocorram icterícia colestática. Por esta razão, pacientes com história de icterícia colestática da gravidez deverão ser cuidadosamente monitoradas durante o uso de anovulatórios. O uso de anovulatórios poderá afetar testes de função hepática e avaliações endócrinas. Quando estes testes não estiverem normais na paciente, descontinuar o uso de Megestran. Repetir os testes dois meses após a interrupção do tratamento. Os anovulatórios podem diminuir os níveis séricos dos folatos. Pacientes que interrompem a medicação e que engravidam pouco tempo depois, poderão desenvolver deficiência de folatos e complicações decorrentes. Recomenda-se que as mulheres que interromperem o uso de anovulatórios com a intenção de engravidar utilizem uma forma alternativa não esteróide de proteção contra a gravidez por algum tempo, antes de tentar engravidar. – Cuidados especiais: o clínico deverá avaliar criteriosamente as primeiras manifestações de trombose (tromboflebites, perturbações cerebrovasculares, embolia pulmonar e trombose retiniana). O tratamento com Megestran deverá ser imediatamente interrompido caso estas manifestações sejam observadas ou suspeitas. Em caso de perda súbita, parcial ou total da visão, ou quando se verifique princípio de exoftalmia, diplopia ou enxaqueca, deve-se interromper imediatamente o tratamento. Igualmente cessar o tratamento se o exame constatar edema papilar ou lesões retinianas vasculares. – Advertências: o uso de cigarros aumenta o risco de efeitos colaterais cardiovasculares sérios dos anovulatórios. Existe risco aumentado de infarto do miocárdio ligado ao uso de anovulatórios. A administração de anovulatórios no período pós-parto pode interferir com a lactação. Foi verificado que há maior risco de moléstias da vesícula biliar em pacientes que fazem uso de anovulatórios e de estrógenos. Foi constatado que há aumento da pressão arterial em pacientes que fazem uso de anovulatórios. Descontinuar a medicação caso a pressão aumente acentuadamente. Face ao risco muito aumentado de complicações tromboembólicas pós-cirúrgicas em usuárias de anovulatórios, aconselha-se descontinuar o tratamento, pelo menos, 4 semanas antes de uma cirurgia associada a este risco.

Composição

Comprimido branco: mestranol 0,1 mg;noretisterona 0,5 mg. Excipiente q.s.p. 1 comprimido. Comprimido amarelo: vitamina B6 (cloridrato de piridoxina) 10 mg. Excipiente q.s.p. 1 comprimido.

Apresentação

Cartucho contendo cartela com 28 comprimidos, sendo 21 brancos e 7 comprimidos amarelos.

Laboratório

Novaquímica Natures Plus

Efeitos Colaterais

Quais os males que pode me causar?

Efeito colateral raros: Distúrbios gastrintestinais.

O uso prolongado pode causar sobrecarga da função renal.

Com doses elevadas pode ocorrer enjoo, vômitos, diminuição da pressão arterial, dores musculares, arritmias cardíacas, inflamação dos nervos e diarreia.

Podem ocorrer efeitos neurológicos severos e colapso por parada cardiovascular associado a aconitina.

Contraindicações

Quando não devo usar?

Melagrião Xarope não deve ser usado por pacientes com hipersensibilidade conhecida aos componentes da fórmula.

Não se recomenda o uso do Melagrião Xarope em casos de úlceras gástricas e intestinais e na doença renal inflamatória.

Também não se recomenda seu uso em pacientes com deficiência da atividade da tireoide, com problemas cardíacos e com pressão sanguínea muito baixa.

Melagrião Xarope na gravidez e lactação: não se recomenda o uso deste medicamento durante a gravidez e lactação.

Este medicamento é contraindicado para menores de 2 anos.

Este medicamento é contraindicado para uso por diabéticos.

Este medicamento é contraindicado para uso por mulheres gravidas sem orientação médica.

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar?

Não se recomenda o uso do Melagrião Xarope em caso de tosse cronica como a causada por asma, fumo, bronquite cronica ou enfisema, ou se a tosse vier acaompanhada de muco excessivo,a menos que indicado por um médico.

Atenção diabéticos: este medicamento contém Sacarose.

Interações Medicamentosas

Melagrião Xarope não deve ser empregado simultaneamente com anticoagulante (warfarina), pois pode potencializar os seus efeitos e antagonizar o efeito da vitamina K.

Não existe dados sobre interações desse medicamento ou seus constituintes com tabaco ou álcool.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada?

A administração de altas doses pode levar a distúrbios gástricos, vômitos ou diarreia.

Se ocorrer ingestão acidental do produto em doses excessivas, deve-se procurar orientação médica e deve ser considerado o esvaziamento gástrico logo após o acidente.

O que fazer quando eu me esquecer de usar este medicamento?

Caso voce esqueça de tomar Melagrião Xarope,pode tomar a dose esquecida naquele horário, e tomar a próxima dose,no horário correto, respeitando o intervalo normal.

Nunca tome a dose normal para compensar a dose perdida.

Composição

Cada ml do produto contém:

Alcoolatura de agrião ……………… 0,04666 ml

Extrato da flolha de guaco ……………… 0,00830 ml

Extrato da folha. de polígala …………… 0,00830 ml

Soluto concentrado de bálsamo de Tolú ……….. 0,00800 ml

Extrato da folha de ipecacuanha …………. 0,00042 ml

Extrato da folha de acônito ……………. 0,00008 ml

Excipientes: açúcar, mel,álcool etílico, benzoato de sódio, metilparabeno e água purificada.

Apresentação:

Xarope – cartucho com frasco plástico transparente âmbar x 150 ml.

Armazenamento

Onde como e por quanto tempo posso guardar?

Melagrião Xarope deve ser guardado em sua embalagem original, à temperatura ambiente [15ºC a 30ºC].

O produto Melagrião Xarope apresenta validade de 36 meses.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento.

Aspecto físico:

O Melagrião Xarope apresenta-se como um líquido xaroposo, levemente turvo, de coloração amarela, levemente acastanhada.

Seu sabor é doce, melífero.

Laboratório

Catarinense S.A

M.S. 1.0066.0055.001-4

Farm. Resp.: Carlos E.de Carvalho – CRF-SC Nº 4366

SAC: 0800 474 222