Aterosclerose – Causas e Tratamentos


A aterosclerose é uma doença crônica degenerativa que pode iniciar desde a infância. Essa doença ocorre pelo acúmulo de placas de gordura, que afetam a parede das artérias, obstruindo a passagem dos vasos sanguíneos que levam sangue ao coração e oxigênio. É considerada uma das doenças que constituem a principal causa de mortalidade e morbidade em todo o mundo, pois acomete vários órgãos causando problemas e danos podendo levar o paciente a óbito. Saiba como tratar e combater este mal, acessando aqui!!!

Aterosclerose

É uma doença que causa a obstrução de diversas artérias do nosso corpo, devido a formação de ateroma.  A artérias são vasos sanguíneos que carregam sangue rico em oxigênio ao coração e outras partes do corpo, levando a graves complicações de saúde e dependendo dos casos até a morte do paciente. É uma doença que surge aos poucos, que na verdade começa quando nós nascemos, mas seus efeitos só são notados quando o desgaste causado na parede das artérias atinge um determinado nível, começando a dificultar o fluxo sanguíneo para os órgãos vitais. Esse processo de obstrução na passagem dos vasos, podendo ocasionar o infarto.

Causas da Aterosclerose

A principal causa são os acúmulos de ateromas (gorduras) e outras substâncias nas artérias do coração. Esse acúmulo causa o estreitamento ou até mesmo a obstrução completa das artérias, ocasionando a diminuição ou impedimento do fluxo de sangue para o coração, resultando no que chamamos infarto, dependendo da sua gravidade. Lembrando que, quando as artérias obstruídas são as responsáveis por levar sangue para o cérebro o paciente pode sofrer um acidente vascular cerebral AVC e quando o problema afeta as artérias coronárias, o paciente pode sofrer um infarto. O consumo excessivo de alimentos industrializados juntamente como sedentarismo modificam o LDL (mau colesterol) resultam no entupimento das artérias, que com o passar dos anos podem chegar à obstrução completa.  Existem algumas alterações, como a hipercolesterolemia familiar, em que indivíduos da mesma família têm o colesterol elevado desde jovens, mas são menos frequentes. Em casos assim, o acompanhamento médico é indispensável para que seja detectado o acúmulo das placas de gordura precocemente.

Fatores de risco da Aterosclerose

Conheça algumas condições que são denominadas como fatores de riscos, mais que podem ser controladas, inicialmente começando com alterações feitas no seu estilo de vida, porém vale ressaltar que existem outros fatores não podem ser controlados, como idade e histórico familiar de doença cardíaca. Confira aqui alguns fatores:

  • Tabagismo: danifica as paredes das artérias, aumenta a pressão arterial e reduz os níveis de bom colesterol (HDL). Também causa coágulos sanguíneos da agregação de plaquetas no local do dano;
  • Consumo elevado de bebidas: excesso de álcool aumenta o nível de colesterol no sangue e pressão arterial, que contribuem para a aterosclerose;
  • Sedentarismo:  falta, ausência ou diminuição de atividades físicas;
  • Insalubre, hábitos alimentares: evitar alimentos industrializados,  pois prejudicam o funcionamento do cérebro;
  • Estresse: evitar, pois pode elevar a pressão e até romper as artérias;
  • Obesidade: evitar para quê não haja o excesso de gordura acumulada nas artérias;
  • Diabetes;
  • Histórico familiar: caso um parente próximo tenha detectado a aterosclerose precocemente, ou seja, homens com menos de 55 anos e mulheres com menos de 65;
  • Menopausa: as mulheres nessa fase são mais suscetíveis;
  • Distúrbios do sono: que podem desenvolver doenças nas artérias;

Aumenta o risco de doenças cardíacas sob certas condições de saúde tais como:

  • Níveis elevados de colesterol (mau colesterol-LDL): 160-189 mg/dL;
  • Pressão arterial elevada (hipertensão): acima de 140/90.

Aterosclerose - Causas e Tratamentos

Sintomas da Aterosclerose

Os sintomas variam de acordo com cada paciente, por se tratar de uma doença silenciosa, tem casos que não há qualquer indício de sintomas, até que as artérias fiquem significativa ou totalmente bloqueadas, ou causando complicações maiores como ter um AVC ou infarto. Porém, com bloqueio incompleto das artérias, podemos observar sinais como:

Dores intensas e fortes na cabeça, além de desconforto também nos braços e pernas;

Forte dor no peito e desconforto no peito. Está dor no peito o paciente sente como se o que o coração estivesse sendo esmagado e a dor pode também se estender ao pescoço, barriga e parte superior nas costas;

No casos de pacientes que são idosos, mulheres ou que sofra de diabetes, além dos sintomas acima, a pessoa pode sentir falta de ar, palidez nos dedos, dilatações de algumas áreas dos vasos sanguíneos, fraqueza e fadiga.

 Fique sempre atento a esses sintomas, pois a aterosclerose é uma doença perigosa, e sua evolução geralmente é silenciosa. Algumas pessoas só descobrem a formação de placas de gordura quando uma artéria é obstruída completamente e o paciente precisa ser atendimento imediatamente.

Tratamento da Aterosclerose

O principal tratamento para aterosclerose são mudanças no estilo de vida. Procurar ajuda médica é essencial para que haja a retirada das placas de gordura e curar as lesões que ficam no local. Essa retirada pode ser feita por meio do cateterismo e da angioplastia, além da ingestão de medicamentos. Quanto mais cedo procurar o tratamento, melhores serão os resultados, tendo a redução no índice de mortes de doenças relacionadas à aterosclerose. São indicados tratamento cirúrgico somente nos casos avançados, podendo ser feito através da cirurgia aberta ou pela técnica endovascular. A adoção de hábitos saudáveis também é fundamental para o controle da doença.

Como prevenir a Aterosclerose

Para prevenir a aterosclerose, devem eliminar-se os fatores de riscos como obesidade, diabetes, hipertensão e colesterol, evitar o consumo exagerado de álcool e cigarro. Assim como a maioria das doenças cardiovasculares, a melhor forma de prevenção é manter uma rotina que inclua exercícios físicos regulares, alimentação balanceada e com baixo consumo de gorduras e sal. A nutrição é importante para a saúde do coração.