Piromania – causas e sintomas


A piromania é um transtorno psicológico em que o indivíduo gosta de incendiar objetos por pura satisfação pessoal, sendo caracterizado pela sensação de prazer, satisfação ou liberação de tensão ao provocarem incêndios, testemunharem seus efeitos ou participarem de seu combate. Para diagnosticar a piromania o psicólogo tem que primeiro descartar outras hipóteses como a esquizofrenia, loucura, fobia social e outras.

O indivíduo que sofre de piromania tem um grande fascínio pelo fogo e sente prazer em fazer isso, repetindo esse ato por várias vezes de forma intencional. O comportamento incendiário não ocorre visando obter ganhos monetários, expressar uma ideologia sociopolítica, encobrir uma atividade criminosa, expressar raiva ou vingança, melhorar as próprias condições de vida ou em resposta a um delírio ou uma alucinação.

Piromania – causas e sintomas

O piromaníaco é indiferente às consequências do fogo para a vida, à propriedade que está sendo incendiada ou com os danos materiais resultantes. O piromaníaco pode até passar um longo tempo sem incendiar nada, mas existe a predisposição para praticar o ato.

Ainda não se sabe ao certo o que leva uma pessoa a sentir desejo e prazer em atear fogo em objetos, mas sabe-se que o piromaníaco ateia fogo em algo quando está em estado de tensão e após o ato sente prazer extremo.

Normalmente a piromania está ligada a adultos com personalidade anti-social, adultos suspeitos de transtornos mentais, esquizofrênicos, usuários de álcool e drogas, transtornos de conduta e transtornos mentais orgânicos. Uma característica observada em indivíduos que possuem este transtorno é sua constante presença perto de incêndios em seus arredores, eles costumam observar o fogo queimando casas, carros, etc.

Podem também alardear incêndios falsos e sentem prazer por instituições como o corpo de bombeiros, equipamentos anti-fogo e profissionais associados com a luta contra o fogo. Alguns desses fixados acabam tornando-se bombeiros, outros provocam incêndios para se afiliar à instituição e alguns costumam ficar algum tempo próximo aos bombeiros.

O curso dessa patologia provavelmente é crônico-episódico, ou seja, o ato de incendiar não tem uma frequência determinada. As pessoas com piromania geralmente são encontradas primeiro pelos bombeiros e autoridades oficiais, pois dificilmente procuram atendimento médico.

Piromania

Piromania

Mais sobre piromania

O piromaníaco pode fazer preparativos antes de incendiar e comportar-se indiferentemente  quanto às consequências do fogo, quanto aos danos materiais resultantes, consequências legais e ferimentos ou mortes causados pelo incêndio.

A maior parte dos comportamentos incendiários ocorre principalmente durante a adolescência, cerca de 40% das pessoas detidas nos E.U.A. por provocarem incêndios são menores de 18 anos. Durante a infância, a piromania é raramente encontrada. A conduta incendiária nas crianças é geralmente associada com o transtorno da conduta, o transtorno de ajustamento ou o transtorno de déficit de atenção/hiperatividade.

O transtorno incendiário ocorre com maior frequência em homens, principalmente naqueles com a desenvoltura social deficitária e problemas no aprendizado. Para se realizar o diagnóstico deste tipo de doente é necessário excluir-se outros transtornos, tais como esquizofrenia, doença bipolar e personalidade anti-social. Deve também excluir-se todos aqueles que praticam o ato com uma motivação monetária ou por expressão de raiva.