Lambeijo de cachorro pode ser perigoso


Quem nunca recebeu um lambeijo de cachorro que atire a primeira pedra. Todas as pessoas que possuem pets já vivenciaram o prazer de chegar em casa e ser recebido pela calorosa recepção dos cães que consiste em muitos latidos, abanares de rabo e, claro, muitas lambidas, mas o que poucas pessoas sabem é que essas lambidas por mais que demonstrem o carinho que o pet tem por seu dono não são muito recomendadas para a sua saúde.

É comum que donos de animais, tais como o gato e o cachorro, recebam lambidas ou “lambeijo” de seus companheiros, o incomum nesse caso é que muitos donos gostam de dar beijos na boca de seus pets ou deixam-os “lambeijar” suas bocas, o que, segundo alguns pesquisadores não é nada saudável.

Lambeijo de cachorro pode ser perigoso

Visto que os micróbios escondidos nos intestinos dos animais podem resultar um efeito maléfico no corpo de seus donos, além de também o humano poder transmitir alguma bactéria que prejudicará a saúde de seu animal.

É importante ressaltar que os cães não usam apenas a língua para se limpar, mas também colocam o focinho em qualquer coisa fedorenta, incluindo aves mortas, carcaças de animais e fezes, caso eles tenham contato com eles. Como resultado, suas bocas podem ser um terreno fértil para Salmonella e Campylobacter, bactérias que causam intoxicação alimentar, que pode ser perigosa para as crianças e os idosos.

De acordo com o professor da Universidade Queen Mary, em Londres, “não é apenas o que a saliva carrega. Cães gastam metade de suas vidas enfiando seus focinhos em cantos desagradáveis”. Logo, seus narizes estão constantemente “cheios de bactérias, vírus e germes de todo o tipo”. 

Mucosas dos olhos, do nariz e da boca, assim como qualquer lesão microscópica na pele, podem facilitar a entrada para invasores. Em contato com a saliva de cães, gatos, coelhos e roedores, essas regiões podem abrir passagem para o vírus da raiva, por exemplo. Outras ameaças são micoses, meningite, salmonelose, gastroenterite e parasitas.

lambeijo de cachorro

Lambeijo de cachorro

Mais sobre o lambeijo de cachorro

O fato do animal poder transmitir essas doenças não significa que seu dono não pode ter nenhum tipo de contato com ele, deixando “de lado”, o que é necessário fazer é levar em consideração por onde o animal passeou, o que ele andou lambendo ou comendo, se ele está limpo, e, por fim, se você não se importa com tudo isso. Como bem sabemos, os cães gostam de vasculhar e conseguir petiscos em qualquer lugar por onde passam, principalmente na rua.

Os bebês, por exemplo, não devem ser expostos ao lambeijo de cachorro, pois não têm um sistema imunológico completo. O mesmo vale para pessoas com deficiências imunológicas, como quem está em tratamento de câncer, soropositivos, mulheres grávidas ou até mesmo idosos.

O veterinário explica ainda, que os “lambeijos” devem ser evitados porque cães e gatos costumam lamber com frequência seus ânus e genitálias – e também de outros animais – locais com grande flora bacteriana. É importante ressaltar que o cachorro possui uma função muito importante na convivência com os humanos, podendo ajudar crianças e idosos, sendo essa boa relação é comprovada por estudos.