Hipersonia primária – causas e sintomas


A hipersonia primária é um distúrbio do sono que ocorre quando se acorda cansado e mantem-se a fadiga durante todo o dia, mesmo tendo dormido bem durante toda a noite e tendo feito pequenos cochilos ao longo do dia. Existem vários tipos de hipersonia, sendo a mais frequente a hipersonia primária, também conhecida por idiopática em que os sintomas estão presentes por cerca de 3 meses.

Quem sofre de sono excessivo não tem dificuldade nem para dormir nem para adormecer, porém o fato de dormir bem, não ajuda a recuperar o cansaço físico e mental do dia-a-dia, manifestando-se através de ataques de sono e tirar cochilos involuntários, o que afeta a aprendizagem, a capacidade para trabalhar e dirigir, por exemplo.

Hipersonia primária – causas e sintomas

Menos frequente do que a insônia, a hipersonia tem início entre os quinze e os trinta anos e sabe-se que cerca de cinco a dez por centos dos casos clínicos de perturbação do sono com sonolência diurna se enquadram nesta categoria.

Tipos de hipersonia:

Hipersonia recorrente: pouco frequente (apenas 200 casos são conhecidos). Acontece entre 1 e 10 vezes ao ano.

Hipersonia idiopática (ou primária) com sono prolongado: sonolência excessiva, constante e diária durante pelo menos três meses. O sono noturno se prolonga durante umas 12 ou 14 horas. E há grande dificuldade para acordar.

Hipersonia idiopática (ou primária) com sono reduzido: o sono dura entre 6 e 10 horas. Os pacientes podem ter dificuldade para acordar tanto do sono noturno, quanto para sestas.

Sono insuficiente induzido pelo comportamento: voluntário, mas não buscado diretamente, derivado de comportamentos que não permitem alcançar a quantidade de sono necessária para manter nível adequado de vigília e alerta.

Outros tipos de hipersonia: devido a doenças (doenças neurológicas ou transtornos metabólicos, entre outros); hipersonia secundária ocasionada pelo consumo de medicamentos ou drogas.

A hipersonia primária manifesta-se através de sintomas como:

  • Dificuldade para acordar, não ouvindo o alarme;
  • Dormir durante cerca de 14 horas durante o sono noturno;
  • Cansaço e fadiga intensa ao longo do dia;
  • Exaustão;
  • Tirar cochilos involuntariamente;
  • Desorientação e falta de atenção;
  • Perda de concentração e memória que afeta o trabalho e a aprendizagem;
  • Bocejar constantemente ao longo do dia;
  • Irritabilidade.
hipersonia primaria

Hipersonia primária

Mais sobre Hipersonia primária

A hipersonia prejudica o desempenho na escola e a rentabilidade no trabalho pois afeta a concentração, a memória, a capacidade para planejar e diminui a atenção. Além disso, a coordenação e a agilidade podem ficar diminuídos o que prejudica a capacidade para dirigir. As relações familiares e sociais, também podem ficar afetadas pela necessidade de estar descansando constantemente.

O distúrbio também pode aparecer em pessoas que têm fibromialgia (síndrome que provoca dores em todo o corpo) ou em pessoas que sofreram danos cerebrais. Essa é uma doença relativamente rara e só afeta 1% da população, sendo ligeiramente mais comum seu acometimento em mulheres do que em homens e normalmente só começa na idade adulta.

A hipersonia primária normalmente ocorre quando o indivíduo passa várias noites mal dormidas, acumulando cansaço excessivo, também pode ocorrer na síndrome da apneia do sono, síndrome das pernas inquietas e uso de drogas e medicamentos de forma excessiva como ansiolíticos, antidepressivos ou estabilizadores do humor, que têm como principal efeito colateral a sonolência excessiva.

A hipersonia tem cura porém é necessário ir no médico especialista do sono, para fazer o tratamento adequado que pode incluir o uso de remédios e adotar estratégias para programar uma boa noite de sono, como planejar as horas de sono, por exemplo. Normalmente, o distúrbio é tratado com estimulantes e anfetaminas – e às vezes com antidepressivos.