Gigantismo – causas e sintomas


O gigantismo é a secreção excessiva do hormônio de crescimento durante a infância, antes do fechamento das placas de crescimento ósseo. O excesso desse hormônio provoca o crescimento exagerado dos ossos longos (braços, pernas e tronco) e estatura muito alta. O gigantismo é extremamente raro, mas os indivíduos que sofrem da doença chegam a medir de 2,40m a 2,70m.

O gigantismo é uma alteração hormonal que acontece quando a glândula hipófise libera excesso de hormônio de crescimento, durante a vida adulta de uma pessoa, fazendo com que mãos, pés e outras partes do corpo aumentem de tamanho.

Gigantismo – causas e sintomas

Na maioria dos casos, é causado por um tumor benigno, mas também pode estar associado à Síndrome de McCune-Albright, ao complexo de Carney ou à neurofibromatose. Quando o excesso de produção do hormônio do crescimento acontece depois que a fase normal de crescimento parou, a doença é conhecida como acromegalia.

O crescimento vertical que marca o gigantismo também é acompanhado pelo crescimento dos músculos e órgãos, o que faz a criança ser extremamente larga para a idade. O distúrbio também pode atrasar a puberdade e debilitar as funções sexuais. A doença é crônica e sem tratamento os portadores tendem a desenvolver complicações graves como doenças cardiovasculares e hipertensão. A condição é considerada rara e acomete homens e mulheres de forma indistinta.

Os sintomas de gigantismo são:

  • Dor de cabeça,
  • Testa e queixo que se sobressaem mais,
  • Criança muito grandona em comparação às outras,
  • Mãos, pés e dedos exageradamente grandes,
  • Transpiração além do normal,
  • Sensação de fraqueza,
  • Ter leite no peito,
  • Atraso para entrar na puberdade,
  • Período menstrual irregular,
  • Dificuldades na visão, visão dupla ou falta de visão periférica.

O hormônio de crescimento em excesso pode acarretar:

  • Crescimento de mãos e pés
  • Crescimento de áreas de cartilagem, como orelhas e nariz
  • Crescimento do queixo e da língua, e maior espaçamento entre os dentes
  • Rouquidão
  • Dor de cabeça e alterações na visão
  • Dores nas articulações
  • Dormência em mãos, decorrente da síndrome do túnel do carpo
gigantismo

Gigantismo

Mais sobre gigantismo

O diagnóstico geralmente demora a ser feito pois os sintomas aparecem lentamente. Geralmente quando o diagnóstico é feito o paciente já tem aproximadamente 10 anos de doença. Para o diagnóstico são necessário alguns testes endocrinológicos. O valor do GH aleatório (dosado em qualquer momento do dia) não pode ser usado isoladamente para o diagnóstico.

Grávidas, mulheres em uso de anticoncepcionais orais e adolescentes podem ter valores muito elevados de GH se ter doença alguma. O tratamento geralmente é neurocirúrgico, com a remoção do tumor hipofisário, já que na grande maioria das vezes há um tumor hipofisário secretando GH em excesso.

O tratamento tem como objetivo:
  • Reduzir o excesso de hormônio de crescimento aos níveis normais
  • Aliviar a pressão que o tumor está a exercer sobre as estruturas vizinhas
  • Tratar as deficiências hormonais
  • Melhorar os sintomas da acromegalia.
Isto é normalmente conseguido através da remoção cirúrgica do tumor e medicação. Se não tratada, a acromegalia pode causar doenças graves e até a morte, como os sintomas tendem a piorar corre-se o risco de sofrer com pressão alta, diabetes e doença cardiovascular.