Congestão nasal – causas e sintomas


A congestão nasal nada mais é do que estar com o nariz entupido. Muitas vezes esse sintoma está aliado a outros problemas de saúde, como resfriados, gripes ou rinites alérgicas. Além disso, a congestão também pode ser o resultado de mutações na estrutura do nariz, sendo o mais comum problema neste sentido o desvio de septo.

Congestão nasal

A congestão nasal é, de modo geral, caracterizada pelos seguintes sintomas:

– Acúmulo de catarro/muco no nariz;
– Nariz com coriza ou constantemente entupido;
– Inchaço dos tecidos da região nasal;
– Dor sinusal (ou seja, na região do nariz, olhos e boca).

Simples cuidados, como é o caso da hidratação das narinas com soro fisiológico, já podem ser o suficiente para alívio desta condição – principalmente quando a sua causa for um simples resfriado, por exemplo.

Mas, caso a congestão nasal dure por semanas ou esteja acompanhada de sangramento ou secreções esverdeadas e amareladas, esses podem ser bons motivos para procurar ajuda médica.

• Causas da congestão nasal

A congestão nasal pode ser causada por inúmeros fatores – o que inclui qualquer agente que cause inflamações ou irritações nos tecidos nasais.

Além disso, infecções – como é o caso de gripes, resfriados e sinusites, fumaça de cigarro, poluição atmosférica e alergias no geral também são causadores deste desconforto.

Algumas pessoas têm congestão nasal ‘crônica’, ou seja, que aparece sem nenhuma causa aparente.

congestao nasal

Outras possíveis causas da congestão nasal são:

– Clima seco e dias mais frios (motivo pelo qual a congestão nasal é tão comum no inverno);
Sinusite (crônica ou aguda);
– Cefaleia em salvas;
– Síndrome de Churg-Strauss;
– Simples resfriados ou gripes;
– Desvio de septo;
– Uso em excesso de descongestionantes nasais;
– Toxicodependência;
Alergia a mofo, leite ou látex;
– Utilização de determinadas medicações – principalmente para hipertensão;
– Rinite alérgica;
– Hipertrofia de adenoides;
Gravidez;
– RSV – Vírus sincicial respiratório;
– Alterações na tireoide;
– Granulomatose de Wegener;
– Fumaça de cigarro ou de veículos;
Alergia a pelos de animais;
– Pólipos nasais.

Cabe aqui destacar que essas não são todas as causas possíveis para a congestão nasal, mas unicamente as mais comuns. Para um diagnóstico mais eficiente e preciso a visita ao médico precisa ser realizada – principalmente em casos prolongados e/ou constantes de congestão nasal.

• Como é realizado o tratamento de congestão nasal?

Devido ao fato de que a congestão nasal pode ser causada por diferenciados agentes, o tratamento irá depender especificadamente do diagnóstico determinado pelo médico.

Sendo assim, por mais ‘tranquila’ que a congestão nasal seja, ela não pode ser curada pela automedicação: somente um profissional qualificado poderá lhe dizer qual é o mais indicado medicamento e por quanto tempo você deve tomá-lo.

Os mais comuns medicamentos utilizados para tratar distúrbios de congestão nasal são: cimegripe (adulto, dia ou versão “bebê e criança” para o público infantil), avamys, alegra D, afrin, apracur, coristina D, decongex, desalex, fluviral, fenergan expectorante, multigrip, histadin D, loratadina e pseudoefedrina (juntos), omnaris, naldecon (dia/noite) e nasonex.