Clamídia – Causas e sintomas


Você já ouviu falar em Clamídia? Quando falamos nas chamadas Doenças Sexualmente Tramissíveis (DSTs), a primeira coisa que nos vem à mente é a famosa Aids, causada pela infecção pelo vírus HIV. Isso se deve em parte a todo o estigma que a doença carrega (e continua a carregar) desde seu início. No entanto, a lista de DSTs é bastante extensa e contém doenças tão graves como a Aids, especialmente quando o paciente não recebe o tratamento adequado. Este é o caso da clamídia.

Apesar de muito pouco divulgada, a clamídia é doença sexualmente transmissível que mais acomete pessoas em todo o mundo. Isso se deve em parte ao fato de ser uma doença silenciosa, ou seja, por demorar a apresentar sintomas, muitos portadores nem ao menos sabem que têm a doença.

Por isso é tão importante realizar testes a testagem para as DSTs, oferecida gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Na sequência, vamos conhecer esta doença um pouco mais a fundo, incluindo sua causa, sintomas, possíveis complicações e tratamento.

Clamídia e suas causas

A clamídia é provocada por uma bactéria conhecida cientificamente como Chlamydia trachomatis, que é transmitida por via sexual (sexo anal, oral ou vaginal) e, em caso de mães infectadas, para o bebê durante o momento do parto. Estima-se que 5% da população mundial possui a bactéria, sendo que entre os subgrupos populacionais jovens esta percentagem sobe para 10%, já que se trata de subgrupos que possuem maior número de parceiros(as) sexuais.

Como é uma doença pouco estudada, ainda não se sabe ao certo se a doença pode ser transmitida pelo contato com fluídos corporais frescos, como no caso de uma toalha recém-utilizada. No entanto, a contaminação da bactéria pelos olhos pode ocorrer caso o indivíduo os coce com as mãos contendo secreção contaminada.
Como já dito, a clamídia é uma doença na maioria das vezes assintomática, ou seja, seus sintomas aparecem em uma parcela muito pequena dos infectados – cerca de 30% dos homens e 10% das mulheres -, o que contribui para que seja a DST mais comum do mundo, já que muitos a têm mais não sabem. As principais manifestações sintomáticas incluem:

clamidia

Clamídia

Sintomas da Clamídia

– Em mulheres: ardência ao urinar, dor abdominal, dor durante o sexo e corrimento ou sangramento vaginal;
– Em homens: corrimento pela uretra, ardência ao urinar, inchaço do saco escrotal, dor nos testículos e, em casos de sujeitos homossexuais passivos, inflamação do ânus (proctite).

Possíveis complicações
Nos homens infectados, as complicações tendem ser menos graves (mas nem por isso menos importantes) e incluem infecação do epididímo e proctite.

Já nas mulheres, as complicações incluem a grave Doença Inflamatória Pélvica (DIP); infertilidade, já que a doença pode causar lesões no útero e trompas; parto prematuro em casos de mulheres grávidas. Além disso, a infecção pela bactéria aumenta em até 6 vezes a chance de desenvolver câncer de colo de útero.

Tratamento
Felizmente, o tratamento para interromper a infecção é relativamente simples. É feito a base dos antibióticos azitromicina ou doxiciclina. Caso constatada a doença, é recomendado que se avise a todos os parceiros sexuais anteriores.

Por fim, cabe dizer que mesmo que a pessoa tenha sido infectada uma vez e tenha feito o tratamento, ela pode ser infectada novamente. Por isso o cuidado e proteção nas relações sexuais é fundamental.