Bula do remédio Uprima


 Uprima

Bula do remédio Uprima. Princípios Ativos Cloridrato de Apomorfina.

Indicação

Para que serve?

Uprima (cloridrato de Apomorfina) comprimido sublingual está indicado no tratamento da disfunção erétil, que é a incapacidade de atingir ou manter a ereção peniana suficiente para um ato sexual satisfatório. A estimulação sexual é requerida para que Uprima (cloridrato de Apomorfina) comprimido sublingual seja efetivo. Uprima (cloridrato de Apomorfina) comprimido sublingual não está indicado para o uso em mulheres.

Contraindicações

Quando não devo usar?

Uprima (cloridrato de Apomorfina) comprimido sublingual está contra-indicado em pacientes com hipersensibilidade conhecida a Apomorfina ou qualquer um dos excipientes do comprimido sublingual ou em pacientes com angina severa instável, infarto do miocárdio recente, falência cardíaca severa, hipotensão e outras condições onde a atividade sexual não seja recomendável.

Posologia

Como usar?

Dose inicial: A dose inicial recomendada de Uprima (cloridrato de Apomorfina) comprimido sublingual é 2 mg para todos os pacientes. Doses subseqüentes: Se necessário, a dose deve ser aumentada para uma dose máxima de 3 mg. A dose do paciente deve ser ajustada para uma dose que seja suficiente para a relação sexual. Um mínimo de 8 horas deverá ser aguardado para administrar uma dose subseqüente.

Efeitos Colaterais

Quais os males que pode me causar?

Mais de 4000 homens receberam comprimidos de cloridrato de Apomorfina de 2 a 6 mg em estudos clínicos. Os pacientes que receberam pelo menos uma dose de Uprima (cloridrato de Apomorfina) comprimido sublingual 2mg ou 3 mg, em estudos Fase II/III, tinham idades variadas, com diagnóstico de disfunção erétil orgânica, psicogênica ou mista, incluindo pacientes hipertensos (35%), pacientes diabéticos (16%), pacientes com hiperplasia prostática benigna (21%) e pacientes com coronariopatia (13%), evidenciada por história de angina, cirurgia de revascularização coronariana, angioplastia ou infarto do miocárdio. Os eventos adversos leves e transitórios associados com o cloridrato de Apomorfina sublingual, em geral, foram relacionados com a dose. Os eventos adversos foram considerados toleráveis nas doses recomendadas. O cloridrato de Apomorfina sublingual pode produzir uma síndrome autonômica (de origem vasovagal) que pode resultar em uma redução autolimitada e breve na pressão arterial, podendo causar desmaios/síncope (incidência maior que 0,2% sob regime de dose recomendada) (ver Advertências). Os pacientes que tinham história de hipertensão arterial, coronariopatia e diabetes que estavam tomando um ou mais medicamentos concomitantes (isto é, nitratos, anti-hipertensivos), foram incluídos nos estudos clínicos. Os eventos adversos e sua freqüência nessa população de pacientes foram semelhantes aos encontrados na população em geral. Nos estudos multicêntricos de fase III foram observados os seguintes eventos adversos que surgiram durante o tratamento em mais de 1% dos pacientes que receberam as doses recomendadas. Em doses superiores às doses recomendadas, os eventos adversos foram semelhantes a esses, mas em geral, foram relatados mais freqüentemente. Os eventos adversos relacionados com o tratamento nos estudos a longo prazo foram semelhantes aos observados nos estudos clínicos controlados. Novecentos e noventa e cinco (995) pacientes tomaram sua primeira dose de cloridrato de Apomorfina sublingual em casa. Os eventos adversos relatados, em geral, foram semelhantes aos observados durante os estudos a curto e a longo prazo. Populações especiais: Foram incluídos nos estudos pacientes com insuficiência renal ou hepática, lesão da medula espinhal, prostatectomia, hipertensão arterial e diabetes. Os eventos adversos que surgiram durante o tratamento foram semelhantes aos observados em outros estudos clínicos no que se refere ao tipo e incidência. Exames laboratoriais: Não foram observadas anormalidades laboratoriais consistentes. Foram observadas as seguintes anormalidades laboratoriais esporádicas em poucos pacientes: ECG anormal, incluindo extra-sístoles ventriculares, testes de função hepática anormais, albuminúria, hematúria, hipercolesterolemia, hiperglicemia, hipercalemia, hiperlipidemia, hipocalemia, hipoglicemia, aumento do nível de ácido úrico e leucocitose. Farmacovigilância pós-comercialização: reações orais locais como úlceras e reações de hipersensibilidade, incluindo angioedema, foram raramente relatadas. Tabela 1. Eventos adversos relatados durante o tratamento por mais de 1,0% de pacientes recebendo 2-3 mg de Apomorfina Sistema corporal 2 mg e 3 mg(n = 1378) número (%) Geral Cefaléia 93 (6,7) Dor 24 (1,7) Infecçáo 25 (1,8) Sistema cardiovascular Vasodilatação (Rubor) 19 (1,4) Sistema digestivo Náuseas 94 (6,8) Sistema nervoso Tontura 60 (4,4) Sonolência 26 (1,9) Sistema respiratório Faringite 30 (2,2) Rinite 38 (2,8) Tosse aumentada 20 (1,5) Bocejo 27 (2,0) Pele e anexos Sudorese 17 (1,2) Sentidos especiais Perversão do paladar 18 (1,3)

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar?

O cloridrato de Apomorfina sublingual pode produzir uma síndrome autonômica vasovagal que pode manifestar-se como uma breve redução autolimitada na pressão arterial e causar desmaio ou síncope (incidência maior que 0,2% sob regime de dose recomendada). Virtualmente todos os casos ocorreram dentro das primeiras duas horas da administração. A maioria dos casos ocorreram após a administração da primeira dose de cloridrato de Apomorfina sublingual ou após um aumento na dose. Não foram relatados episódios subseqüentes de desmaio em pacientes que apresentaram síncope nos quais o uso de cloridrato de Apomorfina sublingual foi mantido. Não existem evidências de que o cloridrato de Apomorfina sublingual cause alterações sustentadas na pressão arterial. Quase todos os episódios de síncope ( mais de 90%) foram precedidos por um pródromo de sintomas que incluíram um ou mais dos seguintes sintomas: náuseas moderadas a graves, vômitos, palidez, sudorese/ ondas de calor (diaforese) e/ou tontura/vertigem (ver Reações adversas). Se os pacientes apresentarem qualquer dos sintomas prodrômicos citados anteriormente, eles não devem tentar ficar em pé, mas devem deitar-se e elevar as pernas, até que seus sintomas se resolvam. Todos os pacientes devem ser instruídos a entrar em contato com seu médico, antes de utilizar uma nova dose. Estudos sobre os efeitos na habilidade de dirigir e manuseio de máquinas não têm sido realizados. Tendo em vista que alguns pacientes podem desenvolver tontura, vertigem, e, menos comumente, síncope, os mesmos não deverão envolver-se em atividades como dirigir ou operar máquinas por pelo menos 2 horas após a administração de Uprima (cloridrato de Apomorfina) comprimido sublingual ou até que os sintomas tenham sido completamente resolvidos. Uprima (cloridrato de Apomorfina) comprimido sublingual deve ser utilizado com cautela em pacientes com hipertensão não controlada, hipotensão conhecida ou com história de hipotensão postural. Tem sido observada uma diminuição aguda da pressão sangüínea após a administração de Uprima (cloridrato de Apomorfina) comprimido sublingual. Pacientes idosos podem estar propensos para tais ocorrências e são mais suscetíveis a qualquer conseqüência deletéria. Uprima (cloridrato de Apomorfina) comprimido sublingual deve ser utilizado com cautela em pacientes tomando anti-hipertensivos ou nitratos, devido ao potencial para hipotensão, e em pacientes com a função renal ou hepática comprometida. Os agentes indicados no tratamento da disfunção erétil devem ser usados com cautela em pacientes com uma deformidade peniana anatômica (como angulação, fibrose cavernosa ou doença de Peyronie). A segurança e a eficácia do uso do cloridrato de Apomorfina sublingual concomitantemente com outros tratamentos indicados na disfunção erétil não foram estudadas. Por essa razão, não se recomenda o uso dessa combinação.

Uso na gravidez de Apomorfina
Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica. Uso em gestantes ou lactantes: Não foram conduzidos estudos de reprodução animal com os comprimidos de cloridrato de Apomorfina sublingual. Não se sabe se os comprimidos de cloridrato de Apomorfina sublingual podem causar um dano fetal em gestantes, ou se podem afetar a capacidade de reprodução em mulheres. Também não se sabe se Uprima (cloridrato de Apomorfina) é excretado através do leite materno.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada?

Não foi relatada superdosagem em qualquer dos estudos clínicos de Uprima (cloridrato de Apomorfina) comprimido sublingual. O cloridrato de Apomorfina sublingual em doses elevadas pode induzir vômitos. Se os comprimidos forem engolidos, a absorção de Apomorfina será reduzida devido ao metabolismo de primeira passagem. Não existe nenhum antídoto específico disponível para o cloridrato de Apomorfina sublingual. Por essa razão, o tratamento deve ser de suporte e sintomático. Sinais vitais como pressão sangüínea e freqüência cardíaca devem ser monitoradas. Medidas para prevenir uma possível hipotensão ortostática devem ser tomadas. Deve ser considerado o uso de um antagonista dopaminérgico.

Composição

Cada comprimido 2 mg contém: 2 mg de Cloridrato de Apomorfina.

Excipientes: celulose microcristalina, hidroxipropilmetilcelulose, ácido cítrico, estearato de magnésio, ácido ascórbico, edetato dissódico diidratado, dióxido de silício coloidal, óxido férrico, acessulfamo potássico, sabor de laranja-menta e manitol.
Cada comprimido 3 mg contém: 3 mg de Cloridrato de Apomorfina.

Excipientes: celulose microcristalina, hidroxipropilmetilcelulose, ácido cítrico, estearato de magnésio, ácido ascórbico, edetato dissódico diidratado, dióxido de silício coloidal, óxido férrico, acessulfamo potássico, sabor de laranja-menta e manitol.

Armazenamento

Onde como e por quanto tempo posso guardar?

Uprima (cloridrato de Apomorfina) comprimido sublingual deve ser armazenado a uma temperatura de até 25ºC. Conservar na embalagem original.

Apresentação

Uprima (cloridrato de Apomorfina) comprimido sublingual 2 mg: caixa com 1, 2, 4 ou 8 comprimidos.

Uprima (cloridrato de Apomorfina) comprimido sublingual 3 mg: caixa com 1, 2, 4 ou 8 comprimidos.

USO ADULTO
Via sublingual

Interações Medicamentosas

Estudos in vitro com microssomas hepáticos humanos indicaram que concentrações elevadas de Apomorfina inibem a atividade de CYP1A2, CYP3A4 e CYP2D6. Entretanto, os valores de Cmax (aproximadamente 1 ng/mL) produzidos por uma dose de 4 mg de Apomorfina sublingual foram pelo menos 1.000 vezes menores que os valores de Ki para a atividade de CYP1A2, CYP3A4 e CYP2D6. Esses dados sugerem que não é provável que a Apomorfina, nas doses recomendadas, iniba o metabolismo de outras drogas por essas isoformas de CYP. Não se observou uma inibição significativa de CYP2C9 ou CYP2C19 nos estudos in vitro em concentrações de Apomorfina de até 100 micro mols. Estudos in vitro demonstraram o envolvimento de várias isoformas P450, principalmente CYP1A2, CYP3A4 e CYP2C19 na N-desmetilação de Apomorfina. Como a Apomorfina também é metabolizada por sulfatação e glicuronidação, não se espera que outros compostos que inibem ou induzem o citocromo P450, afetem a farmacocinética da Apomorfina. Anti-hipertensivos: foram estudadas as interações entre os comprimidos sublinguais de cloridrato de Apomorfina e anti-hipertensivos (inibidores da ECA [enzima conversora de angiotensina), beta-bloqueadores, bloqueadores dos canais de cálcio e bloqueadores dos receptores alfa1). Os únicos achados significativos foram no grupo de pacientes que estavam tomando nitratos. Uma proporção desses pacientes (4/40) apresentaram sintomas vasovagais e reduções significativas na pressão arterial ortostática, quando o cloridrato de Apomorfina sublingual foi administrado em uma dose superior à dose recomendada (5 mg). Por essa razão, recomenda-se que se tenha cautela, quando o cloridrato de Apomorfina sublingual é administrado em combinação com nitratos. Anti-eméticos: estudos de interação e/ou experiência clínica com cloridrato de ondansetrona, maleato de proclorperazina e domperidona indicam que esses agentes podem ser administrados com segurança concomitantemente com Uprima (cloridrato de Apomorfina) comprimido sublingual. Não foram realizados estudos de Uprima (cloridrato de Apomorfina) em associação com outras medicações anti-eméticas, de maneira que outras combinações não são recomendadas. Agonista dopaminérgico de ação central ou antagonista: Uprima (cloridrato de Apomorfina) comprimido sublingual não deve ser administrado concomitantemente com outro agonista dopaminérgico de ação central ou antagonista devido ao potencial de interações farmacodinâmicas. Nenhum estudo formal foi realizado com outros agentes para a disfunção erétil, antidepressivos, anticonvulsivantes ou outros agentes ativos no SNC, no entanto, na experiência clínica não há indicações da presença de interações. Alcool: em estudos de interações em voluntários onde o álcool foi administrado concomitantemente com Uprima (cloridrato de Apomorfina) comprimido sublingual, indicaram que o álcool ingerido pode causar um aumento na incidência e intensidade da hipotensão. Além disso, a ingestão de álcool pode diminuir o desempenho sexual.

Informações Legais

Registro M.S.: 1.0553.0247.010-1 Registro M.S.: 1.0553.0247.011-8 Registro M.S.: 1.0553.0247.014-2 Registro M.S.: 1.0553.0247.015-0
Farmacêutico(a) responsável: Fábio Bussinger da Silva – CRF/RJ-9277

Laboratório

distribuído por: Abbott Laboratórios do Brasil Ltda. Estrada dos Bandeirantes, 2400 Rio de Janeiro, RJ
CNPJ: 56.998.701/0012-79